01 02 03 04 05 06 07
João Ramalho - terça-feira, 22 de agosto de 2017

Posse responsável e controle da natalidade de cães e gatos


12/04/2015 - Matéria: Prefeitura Municipal
Editor: Gunther Flávio Stelle


      A superpopulação de cães e gatos é um problema que afeta a maioria das cidades brasileiras, em maior ou menor grau.
      Existem mais animais do que lares para os mesmos, tornando-se um problema complexo, que não envolve somente os animais em si, como também seus responsáveis, em que alguns casos acabam abandonando esses animais nas ruas, se omitindo de responsabilidade, quando só estão aumentando o problema.
      A captura e eliminação de animais não representa medida de controle, pois só estará minimizando a conseqüência de um problema onde a causa primária é a procriação descontrolada de cães e gatos e a irresponsabilidade ou falta de conhecimento de alguns proprietários.
      POSSE RESPONSÁVEL
      No Brasil já existe os 10 mandamentos criado pela ARCA BRASIL de posse responsável, que são eles:
      1º - Antes de adquirir um animal, considere que seu tempo médio de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados.
      2º - Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e castrados), em vez de comprar por impulso.
      3º - Informe-se sobre as características e necessidades da espécie escolhida – tamanho, peculiaridades, espaço físico.
      4º - Mantenha o seu animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas com coleira ou guia.
      5º - Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o.
      6º - Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção e carinho a ele.
      7º - Eduque o animal, se necessário, por meio de adestramento, mas respeite suas características.
      8º - Recolha e jogue os dejetos em local apropriado.
      9º - Identifique o animal com plaqueta e registre-o no Centro de Controle de Zoonoses ou similar, informando-se sobre a legislação do local. Também é recomendável uma identificação permanente (microchip ou tatuagem).
      10º - Evite as crias indesejadas de cães e gatos. Castre os machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações.
      Na ilustração abaixo podemos ter uma idéia do numero de nascimentos com a procriação descontrolada de cães.
      
      MÉTODOS DE CONTROLE DA NATALIDADE
      CIRÚGICA. A ovariohisterectomia (remoção de ovários e útero), esterilização cirúrgica das fêmeas e a castração dos machos continua a ser a maneira mais efetiva, e melhor opção dentre os métodos de controle da natalidade nos animais de estimação.
      A idade a ser feita é de acordo com a conduta de cada profissional médico veterinário para se castrar. Fica em volta de dois períodos, sendo, o primeiro, castrar antes do primeiro cio normalmente de 6 a 8 meses podendo variar até 12 meses, e o outro, castrar entre o primeiro e o segundo cio.
      O procedimento é bem tolerada pelos cães e gatos. Os animais esterilizados possuem a mesma capacidade de companhia, guarda, caça, etc. que os “inteiros”.
      Patologias como os tumores mamários são uma realidade em cadelas e gatas, é o segundo mais freqüente em cadelas e o terceiro em gatas, a esterilização antes do primeiro cio reduz dramaticamente o risco do aparecimento do tumor.
      A castração em machos também reduz significativamente o aparecimento de doença na próstata e testículos.
      HORMONAL. Esse método é através da aplicação oral ou injetável de hormônios supressores do cio que atuam diretamente no sistema endócrino das cadelas e gatas, sendo a opção mais utilizada por ter um baixo custo, porem quando utilizado repetidamente pode predispor o animal a doenças reprodutivas.